Governo do Estado libera retirada e comercialização de moluscos em Penha

promenac

Novas análises garantiram a liberação de algumas áreas de cultivo de moluscos e mantém a interdição de três localidades em Santa Catarina. A Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural anunciou a liberação dos cultivos de Armação do Itapocorói e Praia Alegre, no município de Penha; e de Laranjeiras, em Balneário Camboriú.

As áreas foram liberadas para retirada e comercialização de ostras, mexilhões, vieiras e berbigões após apresentarem dois resultados consecutivos negativos para a ficotoxina Ácido okadaico, também chamado de toxina diarreica.

Seguem interditados os cultivos de Freguesia do Ribeirão, Barro Vermelho e Costeira do Ribeirão, no município de Florianópolis.

Está proibido retirar e comercializar ostras, mexilhões e seus produtos, inclusive nos costões e beira de praia dessas áreas.

A Secretaria da Agricultura interdita as áreas após exames laboratoriais detectarem a concentração de ficotoxina Ácido Okadaico acima dos limites permitidos nos cultivos de moluscos bivalves nessa localidade. Quando consumida por seres humanos, essa substância pode ocasionar náuseas, dores abdominais, vômitos e diarreia.

A Cidasc intensificou as coletas para monitoramento das áreas de produção de moluscos interditadas e arredores. Os resultados dessas análises definirão a liberação ou a manutenção da interdição. Os locais de produção interditados serão liberados após dois resultados consecutivos demonstrando que os moluscos estão aptos para o consumo.